Jesus Cristo pagou tudo ! Aleluia !

Isaías 53

“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.


Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca. Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos.

Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu”.

livro do profeta Isaías foi escrito aproximadamente 800 anos antes da vinda de Cristo. Este livro contém muitas profecias minuciosamente descritas sobre a vida e ministério de Jesus Cristo. É incrível como Isaías fala de maneira tão detalhada sobre o ministério de Jesus.Isaías, um dos maiores profetas do Antigo Testamento, anunciou as suas mensagens ao povo do Reino de Judá e aos moradores da cidade de Jerusalém entre 742 e 687 antes de Cristo. Os temas principais das mensagens do profeta são o poder do Deus de Israel sobre todas as coisas e a sua santidade perfeita. Este capítulo é um dos mais belos de toda a Bíblia. Nele encontramos descritos os sofrimentos de Cristo, bem como o alto preço pago pelos nossos pecados.Quero mostrar, baseado na profecia de Isaías no capítulo 53, que Cristo pagou um alto preço por nós, que não fomos comprados por ouro, prata ou pedras preciosas, mas com o precioso sangue de Cristo.Cristo Pagou O Preço FísicoNos versos 2 e 3, Isaías escreve que Cristo pagou o preço físico. Por causa dos nossos pecados o corpo físico de Cristo foi atingido. O Filho de Deus sofreu na Sua própria pele as conseqüências dos nossos pecados. Ele carregava em seu próprio corpo o preço das nossas iniqüidades. Isaías relata pelo menos cinco aspectos físicos que Cristo levou em seu corpo por nossa causa.Em primeiro lugar, o profeta Isaías nos diz que Cristo não tinha aparência: “…não tinha aparência…” (v.2). Nós evangélicos gostamos de cantar um antigo hino do extinto grupo Embaixadores de Sião, muito conhecido no meio cristão, que de fato é muito bonito: “Sempre que eu leio a história de Cristo eu fico a pensar com grande emoção no privilégio que muitos tiveram de ver o Seu rosto, sentir Sua mão. Eu também queria a mesma alegria de tê-lo bem perto, bem juntinho a mim, e olhar nos seus olhos serenos e meigos e como eu seria tão feliz assim. Queria saber como era o seu rosto, embora eu o sinta que era mui lindo, me inspirava fé e também confiança e dava a todos um gozo infindo…” Na verdade a letra desta música é comovente, porém traz uma frase que certamente o profeta Isaías não escreveria. Na verdade, o rosto de Cristo não era bonito. Diz o profeta que Cristo não tinha aparência, não tinha parecer, não tinha aspecto, o seu porte físico certamente não chamava a tenção de ninguém. Em segundo lugar, Isaías diz que Cristo não tinha formosura: “…nem formosura…” (v.2). Nada no aspecto físico de Cristo agradava aos olhos. Ele não era formoso, não tinha aparência agradável, não era belo, bonito, aprazível. Na sociedade de hoje, onde o corpo está ganhando cada vez mais atenção da mídia, onde aquele culto ao corpo há muito anos já predominava na antiga Grécia, Cristo não tem muito espaço porque não tem muito a mostrar que faça brilhar os olhos carnais dos homens. Ele não tinha beleza. Em terceiro lugar, o profeta Isaías chega a afirmar que absolutamente nada em seu físico nos agradava. “…olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse…” (v.2). O Messias não teria nenhuma grandeza terrestre, nem mesmo atrativos físicos. Deus sempre contempla mais o caráter, santidade e obediência da pessoa mais que a sua condição social ou beleza física. Deus falou através do profeta Samuel que o homem vê apenas a aparência, porém o Senhor olha para o coração. É com o coração que Deus trata. É para o coração, e só para Ele, que Deus dirige a Sua atenção. A quarta declaração da profecia de Isaías referente ao alto preço físico que o Messias pagou por causa dos nossos pecados é que ele era um homem de dores: “…homem de dores…” (v.3). A missão de Jesus envolveu muita dor, sofrimento, desagrado e pesar. A dor para Ele não era algo extraordinário e fora do comum. Pelo contrário, a dor lhe era comum, companheira, amiga íntima. Dor física, dor espiritual, dor emocional… Quando lhe cravaram os pregos nas mãos, quando lhe enfiaram aquela afiada coroa de espinhos na cabeça, quando os seus pés foram furados, quando as suas costas sangraram com os açoites… ele sentiu dor física. Quando chorou pela cidade de Jerusalém: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados…”, quando chorou na morte de Lázaro após ter ouvido as declarações incrédulas de Marta e Maria: “…se tu estiveras aqui meu irmão não teria morrido…”, “eu sei que ele há de ressuscitar na ressurreição do último dia…”, e novamente “…se tu estiveras aqui meu irmão não teria morrido…”, quando disse da multidão “…são como ovelhas que não têm pastor…”, Ele sentiu dor espiritual. Mas ele também sentiu dor no coração. Quando entrava na cidade de Naim e viu uma pobre viúva que chorava inconsolavelmente a morte de seu único filho. Diz o texto sagrado que Jesus vendo-a, se compadeceu dela e lhe disse: Não chores! O coração de Jesus era um coração sensível às dores dos outros, sensível às necessidades, sensível à aflição, à angústia, ao sofrimento, à perda. Jesus levou tudo isso na cruz do calvário quando entregou-se por eu e você! A quinta declaração do profeta Isaías a respeito do Messias é conhecida nesta pequena frase: “sabe o que é padecer”(v.3). Jesus tinha experiência com o sofrimento. Ele sofreu na carne a fome, a sede, as noites em claro, subjugando o seu corpo, não tinha onde morar, onde repousar, onde descansar da fadiga do dia a dia, do assédio da multidão, não gozava da companhia de esposa, filhos, pai ou mãe. A experiência de Jesus com o sofrimento foi tremenda!Cristo Pagou O Preço SocialMas Ele não só pagou o preço físico, o preço na sua própria carne pelos nossos pecados. Ele também pagou o preço social. O profeta Isaías escreve três coisas a este respeito. A primeira conseqüência social que Cristo sofreu por causa dos nossos pecados foi o desprezo. “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens…” Creio que este foi uma das mais fortes dores que Jesus sofreu: o desprezo. O apóstolo João escreve que Jesus “veio para os que eram seus e os que eram seus não o receberam” (João 1.11). A profecia de Malaquias também descreve o que Deus estava sentido por parte do seu povo: desprezo. “O filho honra o pai, e o servo ao seu Senhor. Se eu sou pai, onde está a minha honra? E se eu sou Senhor, onde está o respeito para comigo?” (Ml 1.6) Não há maior dor do que ser desprezado pelos seus, pelos de sua casa, pelos seus amigos, pelos seus próprios irmãos. Lembro-me de quando era pré-adolescente e quando íamos ao campo de futebol com os outros meninos para jogar bola. Sempre era o primeiro a chegar mas sempre ficava fora do time! Aquilo me deixava triste, fazia-me sentir desprezado. Jesus Cristo foi rejeitado e desprezado e ainda hoje continua sendo rejeitado e desprezado por milhões de pessoas que decidem não serví-lo, não honrá-lo, não amá-lo! A segunda declaração de Isaías é que Jesus foi rejeitado. “Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular”. (Atos 4:11). Jesus era a pedra rejeitada pelos construtores! Mas esta pedra rejeitada veio a ser a mais importante de todas as pedras, a mais sublime de todas, a maior de todas as outras! A terceira e última declaração do profeta é descrita nas seguintes palavras: “…e dele não fizemos caso” (v.3). A BLH diz: “Era como alguém que não queremos ver; nós nem mesmo olhávamos para ele e o desprezávamos”. Jesus foi um homem com o qual muitos não se importavam.Cristo Pagou O Preço EspiritualO profeta Isaías diz que Cristo também pagou um preço espiritual pelos nossos pecados. Ele foi traspassado (ferido) pelas nossas transgressões (v.5). Traspassar significa “passar além de”; “atravessar”; “penetrar”; “furar de lado a lado”; “causar desfalecimento”; “fazer desmaiar”. O que Isaías quer dizer com isso? A referência não é apenas aos pregos que furaram o corpo de Cristo na cruz, mas é também e principalmente a referência ao pecado que traspassou Cristo. Jesus não morreu por causa dos pregos ou do sofrimento físico. Quando foi furado pelo soldado, diz o relato bíblico que saiu sangue e água do seu corpo: evidência de um ataque cardíaco. Quando Jesus foi tirado da cruz já estava morto, por isso não foi preciso que se quebrassem os seus ossos. Quem causou a morte de Cristo não foi a cruz mas os nossos pecados! Ele foi moído pelas nossas iniqüidades (v5). Ele foi triturado, esmagado, dilacerado espiritualmente por causa de nós. Foi Cristo moído por nós! O castigo que nos traz a paz estava sobre ele (v.5). Para que Cristo conquistasse a nossa salvação, para que Ele nos reconciliasse com Deus, para que nós pudéssemos ter paz com Deus, Ele precisou pagar por isso. A lei estabelecia castigo eterno a todo aquele que cometesse pecado. E Jesus sofreu o castigo e nos concedeu a paz. O apóstolo Paulo escreve em 2 Coríntios 5:21: “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus”. Pelas suas pisaduras fomos sarados (v.5). Pelas feridas de Cristo nós fomos curados. Pelas suas chagas, pelas suas doenças, pelas sua dores nós fomos sarados.Cristo Pagou O Preço De MorteO último preço que Cristo pagou pelos nossos pecados foi a morte. A palavra morte na Bíblia quer dizer “separação”. Na cruz, Deus separou-se de Cristo. A maior dor espiritual de Cristo foi quando ele gritou: “Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste”? Ele foi condenado à morte. Rm 6.23, diz: “O salário do pecado é a morte”. Cristo não morreu porque Pilatos o condenou à morte. Cristo não morreu porque os soldados o crucificaram. Cristo morreu porque estava escrito. Ele morreu para cumprir a vontade de Deus. Era necessário que Ele morresse para que nós tivéssemos vida. A morte era o alvo final da vida de Jesus. Porque foi na sua morte que Ele pagou o preço de todos os nossos pecados, foi na sua morte que Ele conquistou a salvação eterna para todos os que crêem nele. Ele foi esquecido no seu julgamento e morte (todos os seus discípulos o abandonaram). Não só Pedro o negou três vezes, mas todos os seus discípulos o abandonaram. O deixaram só. Com isto cumpriu-se outra profecia: “Ferirei o pastor e as ovelhas serão dispersas”. Era necessário que Ele sofresse só. Ele foi esquecido na sepultura (foram visitá-lo 3 dias depois da sua morte).Cristo Conquistou A Nossa VitóriaJesus Cristo pagou o preço físico, social, espiritual e o preço da morte para que tivéssemos vida. E é Olhando para Ele que somos salvos. Isaías 45:22 , diz: “Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”. É olhando para Jesus que todos os nossos pecados são perdoados. É olhando para Jesus que podemos olhar para dentro de nós e dizer: “Estou livre da condenação eterna!” Olhando para Ele somos libertos. Libertos do pecado, libertos dos desejos que lutam contra nós, libertos do medo, libertos da depressão, libertos da angústia, libertos das dores da alma, verdadeiramente libertos! “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão (Gálatas 5:1 RA). Olhando para Ele podemos acreditar no futuro. Podemos olhar o amanhã com mais confiança, com mais firmeza, com mais certeza, com plena e absoluta certeza de que amanhã seremos mais felizes que hoje, amanhã seremos mais abençoados que hoje, amanhã venceremos mais que hoje. Cristo conquistou o nosso amanhã! Jesus pagou o preço físico: livrou-nos da morte. Jesus pagou o preço social: livrou-nos da rejeição e do desprezo. Jesus pagou o preço Espiritual: garantiu a nossa salvação. Jesus pagou o preço de morte: nos deu vida. Jesus conquistou a nossa vitória: podemos ser seres humanos plenamente realizados e felizes.

Louvado seja o bendito nome de Jesus!

About these ads

Deixe um comentário

Arquivado em artigos, reflexão, salvação, vida cristã

Os comentários estão desativados.